© 2011 Residencia Internacional de Artistas [EN EL DIA DE LA VIRGEN]

03 de febrero de 2011 / Claudia Paim

O corpo em estado de repouso, mas não inerte. O tempo do repouso como intervalo. Uma brecha por onde se pode espreitar uma imagem possível. Além da imagem começa a crescer a importância da fala… a necessidade de pedir ao outro que ajude na hora de fazer. Outro olhar, sempre. Outro foco, outro enquadre. A renovada surpresa do olhar.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

*
*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>